a cor e a cidade

etiqueta

  • palestra

13 de agosto

terça, 20h

informações

a cor e a cidade

David Batchelor

entrada franca - 90 lugares
retirar senha 30 min antes

descrição

No dia 13 de agosto, terça-feira, às 20h, o Centro Universitário Maria Antonia recebe o artista britânico David Batchelor para a palestra A cor e a cidade. Haverá tradução simultânea. A entrada é franca (90 lugares), com distribuição de senhas 30 minutos antes.

Batchelor discute as relações entre as cores e o ambiente urbano sob o prisma da arte contemporânea, partindo da constatação de um recalque em torno do potencial expansivo da cor (tradicionalmente oposta ao desenho), que não deixou de preponderar nem mesmo na prática ou na teoria de muitas correntes da arte moderna até o presente. Expõe então os conceitos implicados na sua própria produção que, retoma de modo transfigurado a miríade cromática de objetos de todos os tipos e tamanhos, de pentes a carros, de luminosos a placas ou grandes superfícies de cores chapadas e chamativas espalhados nas metrópoles de todo o mundo, assim como uma certa tradição que passa pela arte de linhagem construtiva, pelo monocromo, pelo minimalismo e outras tendências da atualidade.

A palestra faz parte das extensas pesquisas sobre cor realizadas pelo artista, que desenvolveu textos ensaísticos sobre o tema, resultando, por exemplo, em seu livro Cromofobia (Senac São Paulo, 2007), em obras como a coluna multicolorida de caixas de luz empilhadas, instalada pelo artista no vão das passarelas da 26ª Bienal Internacional de São Paulo, prosseguindo em seus trabalhos recentes, como as Blob Paintings e os Found Monochromes, que estarão na sua exposição no Centro Universitário Maria Antonia, com abertura a todo o público no próximo dia 15 de agosto.

David Batchelor é mestre em artes pela Universidade de Birmingham. Seus trabalhos foram expostos em diversos países, como Inglaterra, Holanda, Alemanha e Estados Unidos. Dentre suas exposições individuais podem ser destacadas Flatlands (Fruitmarket Gallery, Edinburgo, 2013), 2D3D (Karsten Schubert, Londres, 2011), Backlights (Galeria Leme, São Paulo, 2008), Unplugged – Remix (Wilkinson Gallery, Londres, 2007), Spectrum of Hackner Road (Wilkinson Gallery, Londres, 2003), Polymonochromes (Henry Moore Institute, Leeds, 1997). Participou da 26ª Bienal Internacional de São Paulo (2004) e de diversas outras coletivas, como Le Stanze del Vetro (San Giorgio Maggiore, Veneza, 2013), Royal Academy Summer Exhibition (Londres, 2012), The Shape of Things to Come (Saatchi, Gallery, Londres, 2011), Between Tought and Action (White Cube, Londres, 2010), Colour Chart (Museum of Modern Art, Nova York, e Tate Liverpool, 2009), Echo Room (Alcala 31, Madri, 2007), Sodium and Asphalt ( Museo Rufino Tamayo, México DF, 2004), Days Like These: Tate Britain Triennial of Contemporary Art (Tate Britain, Londres, 2003). Alguns de seus livros foram publicados no Brasil, entre eles Minimalismo (Cosac Naify,1999) e Cromofobia (Senac, 2007).