ambrósio de milão · cepame 2013

etiqueta

  • minicurso

14, 15 e 16 de outubro

segunda, terça e quarta, a partir das 14h

informações

ambrósio de milão · cepame 2013

Allan Fitzgerald e Calvin Normore

entrada franca - 90 lugares

descrição

Entre os dias 14 e 16 de outubro, segunda, terça e quarta, a partir das 14h, o Maria Antonia recebe o minicurso Cepame 2013, sobre a obra de Ambrósio de Milão, que será ministrado pelo Prof. Dr. Allan Fitzgerald. No dia 14, às 17h, acontece a palestra Verdade, ministrada pelo Prof. Dr. Calvin Normore. As atividades são em inglês e as inscrições podem ser feitas pelo site www.filosofia.fflch.usp.br.

minicurso
Ambrósio de Milão

As três aulas tem como tema principal a obra de Ambrósio de Milão, De apologia David, a partir de três questões: por que e como ler Ambrósio de Milão? O que pode ser dito sobre a fascinação de Ambrósio com a figura de Davi (e de Pedro)? Por que ele falou tão frequentemente em pecado, penitência e perdão em suas obras? Um desafio significativo para o estudo dos pais da Igreja pode ser perguntar por que alguém escolheria estudar alguns escritos de tanto tempo atrás, e como tal estudo teria utilidade para um estudante de filosofia, ou de teologia, ou mesmo para alguém inserido na sociedade atual. Durante o curso, teremos clareza de que há uma coerência entre a busca pelo sentido da vida humana e a interpretação das escrituras proposta por Ambrósio (sobretudo das figuras do antigo testamento). Ademais, Ambrósio é um pensador-chave na história dos conceitos de penitência e de remissio peccatorum (remissão/perdão dos pecados) – temas privilegiados na obra Sobre a apologia de Davi.

palestra
Verdade

Tanto a teologia cristã como a mulçumana identificam Deus e a Verdade, e sugerem que a Verdade é coextensiva com o Ser. Aristóteles (em Metafísica, delta) indica um sentido de "ser como verdadeiro". No entanto, Aristóteles (em Categorias, 5) também distingue nitidamente proposições e substâncias, argumentando que enquanto as substâncias podem sofrer alterações intrínsecas, as mudanças na verdade das proposições são extrínsecas a elas. Em meados do século XIV, era quase um lugar comum afirmar que a verdade é essencialmente uma propriedade de 'propositiones'. A história medieval da noção de verdade levanta uma série de questões e dá origem a uma série de posições bastante interessantes e pouco exploradas: o tratamento de al-Farabi do ser como verdade enquanto uma intenção segunda; a teoria de Anselmo de Aosta/Bec/Canterbury da verdade como 'rectitudo', os esforços de Grosseteste para reconciliar a multiplicidade e contingência das verdades tendo como base a Verdade/Deus; os debates contínuos nas tradições árabe-persa e latina sobre o paradoxo do Mentiroso, etc.

Allan Fitzgerald é professor doutor da Villanova University.

Calvin Normore é professor doutor do Depto. de Filosofia da UCLA.